quinta-feira, 31 de março de 2016

A educação não está abandonada, ela não existe mais...



Garimpei nas redes sociais este texto que não tem autor,mas que nos leva a refletir sobre a atual situação das escolas paulista. 
Um professor ou uma professora escreve  com indignação sobre o cotidiano da escola ...Alguém sabe quem escreveu??? Merece seus créditos. Obrigado internautas...o nome do autor do texto é  Prof Fabricio Lirya
"Não vai ter bônus, não vai ter greve, não vai ter impressora, não vai ter copo, não vai ter papel higiênico, não vai ter folha de sulfite, não vai ter livro didático, não vai ter escola reformada, não vai ter salário digno... Mas vai ter sala lotada, vai ter que usar o caderninho emburrecedor / superfaturado pelas gráficas do governo, vai ter que analisar os dados do Saresp nas ATPC’s, vai ter que montar um plano de ação para melhorar o rendimento da escola no Saresp, vai ter que ouvir de coordenadores, diretores, supervisores, pcnp’s e dirigentes que o caderno do aluno deve ser prioridade e ainda iremos ouvir várias perguntas, como e por que não trabalhamos tal situação de aprendizagem que perde 20 aulas fazendo o aluno refletir sobre algo sem nexo e que não chegará a lugar algum...

Quando eu vi a notícia de 2,5% de aumento proposto pelo governo, lembrei-me do dia em que tentamos convencer alguns professores a entrarem em greve no ano passado. Disseram que é melhor pingar, do que fechar a torneira de vez, uma vez que corríamos o risco de não receber nada ou ainda perdermos o cargo por estarmos em estágio probatório. 
Contentem-se com os possíveis 2,5%. A educação não está abandonada, ela não existe mais, não só por culpa do governo, mas por culpa de uma classe desunida, que pensa pequeno, que se contenta com gotículas e que é a cara desse desgoverno.

E parabéns aos diretores, supervisores e demais “superiores” que ajudaram Geraldo Alckmin nas tentativas de greves e mobilizações passadas. Se esperavam trocar de carro com o bônus, nem o pneu vão conseguir." E tem ainda a recomendação para economizarmos: água, luz, telefone .....

4 comentários:

  1. Parabéns a você professora, mestra. Com certeza merecedora de todo respeito pela categoria dos professores de todo Brasil e países. O professor, sonha em ser educador, hoje, tem pesadelos. Abraços!!

    ResponderExcluir
  2. É lamentável, vergonhoso, humilhante, deprimente, depressivo, opressivo, angustiante, degradante, desonroso, abafadiço, ultrajante, impudico, despudorado, obsceno, embaraçado,desolador, torturante, pungente, penoso, lancinante, excruciante, doloroso, cruciante, aflitivo, esmagador, tenebroso, infame, sombrio, pavoroso, medonho, aterrador, tétrico,sinistro, nublado, lúgubre, obscuro, lúrido, lôbrego, atro, cego, fusco, trevoso, enegrecido... a forma como o governo do Estado de São Paulo está tratando todos nós professores, coordenadores e diretores das escola estaduais.
    Peço aos pais das escolas públicas que se juntem a esse povo que está na escola lutando pela qualidade de ensino. Denunciem o que o governo está fazendo com seus filhos... com salas super lotadas.Isso é acesso a educação de qualidade?
    Não dá pra trabalhar só por caridade e amor, vivemos num país capitalista, necessitamos de ser renumerados, não só para o alimento e vestimenta, mas para investir em nossa capacitação, livros, materiais, enfim como fazer isso?
    Nenhum reajuste, enquanto a inflação superou 10%, nos oferecem 2,5% ou o bônus e tem a coragem de aumentar os próprios salários...
    Até quando vamos aguentar ????

    Gabriel o Pensador - Até Quando? (Clipe Oficial)
    http://facebook.com/GabrielOPensadorOficial Clipe da música "Até Quando?" do Gabriel o Pensador.

    ResponderExcluir